Maquinónima - «pensa pictóricamente»


"...Aqui, o corpo não é já meio de visão e de tacto, mas seu depositário. Em vez de serem os nossos orgãos instrumentos, são os nossos instrumentos que são orgãos produzidos. O espaço já não é aquele de que fala a Dióptrica, feixe de relações entre objectos tal como veria uma terceira testemunha da minha visão, ou o geómetra que a reconstrói e sobrovoa, é um espaço calculado a partir de mim como ponto ou grado zero da espacialidade. Eu não vejo de acordo com o seu invólucro exterior, vivo-o de dentro, estou nele englobado. Seja como for, o mundo está à minha volta, não à miha frente."