O que disse quem e o que disse o quê...




"Durmo e desdurmo.Do outro lado de mim,lá para trás de onde jazo, o silêncio da casa toca no infinito.Oiço cair o tempo,gota a gota e nenhuma gota que cai se ouve cair.(...) Sinto a cabeça materialmente colocada na almofada em que tenho fazendo vale. A pele da fronha tem com a minha pele um contacto de gente na sombra. A própria orelha,sobre a qual me encosto,grava-se-me matematicamente contra o cérebro. Pestanejo de cansaço, e as minhas pestanas fazem um som pequeníssimo, ináudivel, na brancura sensível da almofada erguida. Respiro, suspirando, e a minha respiração acontece - não é minha"

Desôlho.

"Sente-se talvez agora melhor tudo o que implica esta pequena palavra:ver. A visão não é um certo modo do pensamento ou da presença de si: é o meio que me é dado de estar ausente de mim mesmo, de assistir de dentro à fissão do Ser, no final da qual somente, me fecho sobre mim."