Obacidade, porquê?


"Assim, tudo quanto nos cerca não tem nome, se no nome imaginamos apreender mais alguma coisa que um mero "designar" de uma opacidade brutal que é a existência. Mas nós nascemos ou inventámos uma constelação, uma rede de nomes através dos quais magicamente nos apropriámos do universo(...)
A linguagem é antes a forma suprema de fazer evaporar a realidade, de a afastar de nós, de a perder, de surpreender e desatar o cordão umbilical que a ela nos uniria( e une) se conseguíssemos silenciá-la.(...)É esse silêncio anterior à palavra que(...) Regressar a esse silêncio não é voltar do mais ao menos, da vida à morte, do dia à noite, mas o contrário, o regresso ao pleno dia da realidade, ao puro existir, que ser-consciente (pensar e falar) turvam em seu princípio."